Ucrânia quer Rússia fora da internet

ICANN não deve atender ao pedido da Ucrânia.

Ucrânia quer Rússia fora da internet

Na semana passada, o governo da Ucrânia pressionou as principais plataformas de tecnologia a repensar como operam com a Rússia, e tem sido muito bem-sucedido.

As empresas de mídia social reduziram o alcance dos meios de comunicação apoiados pelo Estado russo, por exemplo, e a Apple parou de vender seus produtos e limitou alguns serviços na Rússia.

Mas agora a Ucrânia está pressionando por algo ainda mais dramático e conseqüente. Na segunda-feira, o governo da Ucrânia pediu que a Rússia seja desconectada da internet global.

"Estou lhe enviando esta carta em nome do povo da Ucrânia, pedindo-lhe que resolva uma necessidade urgente de introduzir sanções rigorosas contra a Federação Russa no campo da regulamentação do DNS [Sistema de Nomes de Domínio], em resposta aos seus atos de agressão. para a Ucrânia e seus cidadãos", escreveu Andrii Nabok, que representa a Ucrânia no Comitê Consultivo Governamental da ICANN.

Especialistas em governança da Internet dizem que o pedido da Ucrânia, se realizado, efetivamente separaria a Rússia da internet, deixando os sites russos sem um lar.

Os endereços de e-mail parariam de funcionar e os usuários da Internet não conseguiriam fazer login. A Rússia de repente se encontraria em uma ilha digital.

Mas esses mesmos especialistas em governança estão céticos de que o pedido da Ucrânia será atendido. Por um lado, dizem eles, isso abriria um precedente perigoso que poderia dar aos países autoritários licença para fazer exigências semelhantes.

Por outro lado, não está claro se ICANN poderia tomar tal decisão mesmo que muitos quisessem. Além disso, acrescentaram, cortar a Rússia do resto do mundo digital pode estar dando ao Kremlin exatamente o que ele quer: um cidadão incapaz de acessar informações externas.

Governos como o da China têm procurado isolar seu próprio povo do mundo digital externo. Mas o pedido da Ucrânia não tem precedentes, segundo Vint Cerf, amplamente considerado um dos pais da internet.

"É a primeira vez em minha memória que um governo pede à ICANN que interfira na operação normal" do sistema de nomes de domínio em tal escala, disse Cerf à CNN Business.

"A internet opera em grande medida devido a níveis substanciais de confiança entre os muitos componentes de seu ecossistema", acrescentou Cerf. "Agir de acordo com este pedido teria consequências negativas em muitas dimensões."

A carta foi relatada pela primeira vez pela Rolling Stone . Angelina Lopez, porta-voz da ICANN, confirmou à CNN que a carta foi recebida e que os funcionários a estavam analisando, mas se recusou a comentar.