Série documental da Netflix vai mostrar supostos criminosos do Bitcoin

Netfliz diz que é “o maior caso de crime financeiro da história”.

Série documental da Netflix vai mostrar supostos criminosos do Bitcoin
Photo by Thibault Penin / Unsplash

A Netflix está fazendo uma série documental sobre um dos piores ladrões digitais de todos os tempos.

Coincidentemente, Heather "Razzlekhan" Morgan e seu marido, Ilya Lichtenstein, foram acusados ​​esta semana de conspirar para lavar 119.754 bitcoins, que foram roubados no hack de 2016 da exchange Bitfinex.

No momento do roubo, a criptomoeda roubada valia cerca de US$ 63,7 milhões. Agora, vale mais de US$ 5 bilhões.

Lichtenstein e Morgan supostamente lavaram cerca de 25.000 bitcoins, que valem US$ 1,08 bilhão hoje, usando identidades falsas e várias contas para comprar ouro e NFTs. Se forem condenados, Lichtenstein e Morgan podem pegar até 25 anos de prisão.

Após mandados de busca, agentes especiais obtiveram acesso a uma conta controlada pelo Lichtenstein. Ele continha as chaves de uma carteira que continha mais de 94.000 bitcoins que foram roubados da Bitfinex.

Os agentes especiais apreenderam essa moeda digital, que valia mais de US$ 3,6 bilhões no início desta semana.

Foi a maior apreensão financeira do Departamento de Justiça de todos os tempos.

O serviço de streaming, que colocou o projeto em andamento em tempo recorde, contratou Chris Smith para dirigir a série documental.

Smith trabalhou em vários projetos baseados em fraudes e crimes de alto perfil. Dirigiu um documentário da Netflix sobre o infame Fyre Festival , além de uma série documental sobre o desaparecimento de Madeleine McCann.