Robô realiza cirurgia intestinal complexa sem ajuda humana

O robô ainda suturou duas extremidades do intestino – uma das tarefas mais complexas e delicadas da cirurgia abdominal.

Robô realiza cirurgia intestinal complexa sem ajuda humana

Um robô realizou com sucesso uma cirurgia intestinal de "buraco de fechadura" em porcos sem qualquer ajuda de humanos, de acordo com um estudo da Universidade John Hopkins.

Além disso, o Smart Tissue Autonomous Robot (STAR) lidou com o procedimento complicado "significativamente melhor" do que os médicos humanos.

O avanço marca um passo significativo em direção à cirurgia automatizada que poderia um dia ajudar a "democratizar" o atendimento ao paciente, disseram os pesquisadores.

A cirurgia laparoscópica ou de buraco de fechadura exige que os cirurgiões manipulem e costurem intestinos e outros órgãos por meio de pequenas incisões, uma técnica que requer altos níveis de habilidade e tem pouca margem de erro.

A equipe optou por fazer "anastomose intestinal" (unindo duas extremidades de um intestino), um procedimento de buraco de fechadura particularmente desafiador.

A cirurgia de tecidos moles em geral é difícil para os robôs devido à imprevisibilidade.

Para lidar com isso, o robô STAR foi equipado com ferramentas de sutura especializadas e sistemas de imagem de última geração que podiam fornecer visualizações extremamente precisas.

“A anastomose robótica é uma maneira de garantir que as tarefas cirúrgicas que exigem alta precisão e repetibilidade possam ser realizadas com mais exatidão e precisão em todos os pacientes, independentemente da habilidade do cirurgião”, disse o autor sênior Axel Krieger, da John Hopkins.

"Nós hipotetizamos que isso resultará em uma abordagem cirúrgica democratizada para o atendimento ao paciente com resultados mais previsíveis e consistentes para os pacientes".