Primeiro "virovore" descoberto: um organismo que come vírus

Vírus são deliciosos.

Primeiro "virovore" descoberto: um organismo que come vírus
Photo by CDC / Unsplash

John DeLong, pesquisador da Universidade de Nebraska-Lincoln, queria descobrir se algum micróbio comia vírus ativamente e se essa dieta poderia sustentar o crescimento fisiológico de indivíduos e o crescimento populacional de uma comunidade.

“Eles são feitos de coisas realmente boas: ácidos nucleicos, muito nitrogênio e fósforo”, disse DeLong. “Tudo deve querer comê-los. Tantas coisas comem qualquer coisa que possam pegar. Certamente algo teria aprendido a comer essas matérias-primas realmente boas.”

Para testar a hipótese, DeLong e sua equipe coletaram amostras de água da lagoa, isolaram diferentes micróbios e adicionaram grandes quantidades de clorovírus, um habitante de água doce que infecta algas verdes.

Nos dias seguintes, a equipe rastreou o tamanho da população dos vírus e dos outros micróbios para ver se o último estava comendo o primeiro.

E com certeza, um micróbio em particular parecia estar comendo os vírus – um ciliado conhecido como Halteria. Em amostras de água sem outra fonte de alimento para os ciliados, as populações de Halteria cresceram cerca de 15 vezes em dois dias, enquanto os níveis de clorovírus caíram 100 vezes. Em amostras de controle sem o vírus, Halteria não cresceu.

Em testes de acompanhamento, a equipe marcou o DNA do clorovírus com corante fluorescente e descobriu que as células de Halteria logo começaram a brilhar. Isso ajudou a confirmar que Halteria estava realmente consumindo o vírus.

Esses experimentos mostram que o termo recém-criado “virovore” pode agora ocupar seu lugar entre herbivoria, carnivoria e outros, com Halteria coroado como o primeiro virovore conhecido.

Mas é claro que é improvável que seja o único, e os pesquisadores planejam continuar investigando o fenômeno, incluindo seus efeitos nas cadeias alimentares e sistemas maiores como o ciclo do carbono.

Via