Neuralink está pronto para ser testado em humanos

Outra empresa de Elon Musk está pronta para avançar em sua pesquisa e testar o chip em humanos.

Neuralink está pronto para ser testado em humanos

Elon Musk revelou que pretende colocar implantes em nossos cérebros para aumentar sua capacidade e poder realizar ações com o poder do pensamento, algo que já testaram com macacos, primeiro jogando Pong, e agora escrevendo.

Os conceitos básicos do Neuralink são baseados no registro das ações potenciais dos neurônios no cérebro, colocando um eletrodo próximo o suficiente da sinapse de dois neurônios no cérebro e registrando seu impulso elétrico.

Eles acreditam que assim podem fazer com que o paralisado volte a se movimentar, estimulando e refletindo os centros de movimento do cérebro, onde não ocorre mais a atividade sináptica, e eles estimulariam esses centros por meio de um computador.

O evento de lançamento começou com um macaco digitando, com seu cérebro, na tela de um computador. Eles treinaram o macaco para reagir a números e letras na tela, recompensando-o por rastrear letras e números e depois usá-los para escrever números e palavras mais complicadas.

No final conseguem produzir uma frase, embora isso não signifique que o macaco saiba o seu significado.

O macaco não está escrevendo, está pensando nas letras das palavras. Aqui você pode ver em detalhes:

Como você faz um macaco escrever?

O implante em seu cérebro traduz a atividade neural de maneira ordenada. O macaco aprende a controlar a tela, pensando nas letras e elas aparecem.

Essas complexas organizações de funções neurais estão sendo empregadas por meio de eletrodos implantados no cérebro do macaco. Esses eletrodos são fios longos e finos de fibras metalizadas.

Eles têm entre 5 e 50 mícrons de espessura, menores que o cabelo humano.

Os eletrodos estão registrando a atividade neural, os sinais são liberados pelos neurônios, registrados pelo chip no computador, depois mapeados, organizados e reproduzidos.

Agora é a vez dos humanos

Eles podem ter dez mil eletrodos em qualquer cordão de eletrodos, implantados por um robô cirúrgico. O neurocirurgião prepara o paciente, depois o robô coloca os implantes no cérebro, tudo com um humano voluntário recebendo a tecnologia.

A Neuralink acredita que pode implantar um de seus dispositivos na cabeça de alguém nos próximos seis meses, e o próprio CEO planeja colocá-lo em seu cérebro.

Durante a apresentação, Musk disse que a empresa apresentou a maior parte da documentação necessária para um ensaio clínico humano à Food and Drug Administration, que regula os dispositivos médicos nos Estados Unidos.