Moderna inicia testes de vacina contra o HIV baseada em mRNA

Vacina usa a tecnologia usada contra a Covid-19.

Moderna inicia testes de vacina contra o HIV baseada em mRNA

A Moderna iniciou os testes clínicos em estágio inicial de uma vacina de mRNA do HIV, a empresa anunciado esta semana.

As primeiras doses foram desenvolvidas em conjunto com a Iniciativa Internacional de Vacinas Contra a AIDS a voluntários da Escola de Medicina e Ciências da Saúde da Universidade George Washington.

Como a vacina COVID-19 da empresa, o novo tratamento usa RNA mensageiro para “enganar” o corpo humano para produzir proteínas que desencadearão uma resposta imune.

A Moderna espera que a injeção induza uma classe específica de glóbulos brancos conhecidos como células B, que podem se transformar em anticorpos amplamente neutralizantes.

Essas proteínas são “amplamente consideradas o objetivo da vacinação contra o HIV, e este é o primeiro passo nesse processo”, segundo a empresa.

Como parte do teste, a Moderna planeja testar uma vacina primária e uma dose de reforço. O ensaio de Fase 1 envolverá 56 participantes adultos saudáveis ​​e seronegativos. A empresa dará a 48 desses indivíduos a vacina de mRNA. Trinta e dois desse grupo também receberão a dose de reforço. Aos oito finalistas envolvidos no primeiro ensaio, a empresa administrará apenas a dose de reforço.

A Moderna diz que monitorará todo o grupo por seis meses para avaliar a segurança da vacina. Também planeja examinar a resposta imune que a vacina desencadeia em nível molecular para determinar se é eficaz.

A tecnologia de RNA mensageiro pode levar a tratamentos para uma série de doenças mortais, incluindo malária, mas um avanço contra o HIV seria particularmente notável.

Nos Estados Unidos, aproximadamente 1,2 milhão de americanos têm o vírus, o que pode levar à doença mortal da AIDS.

Embora os resultados para pacientes com HIV tenham melhorado significativamente desde os anos 90, graças ao desenvolvimento de novos tratamentos e medicamentos, nenhuma vacina contra o HIV passou com sucesso nos primeiros ensaios clínicos.