Especialista fala sobre criptografia end-to-end do WhatsApp

É importante lembrar que nenhum tipo de comunicação online pode ser 100% privada.

Especialista fala sobre criptografia end-to-end do WhatsApp

"De acordo com os Termos e Condições do WhatsApp, se um usuário reportar um conteúdo inadequado ou reclamar de alguém, o serviço terá acesso às mensagens recentes. Com isso, muitas pessoas concluíram erroneamente que esta situação anula a criptografia end-to-end (E2E)", diz Fabio Assolini, analista sênior de segurança da Kaspersky.

"Precisamos distinguir como funcionam a criptografia de ponta a ponta e o botão 'reportar', pois são algoritmos completamente diferentes. A criptografia ponta a ponta dá ao usuário e ao destinatário uma chave especial para desbloquear e ler as mensagens. Mesmo que o aplicativo forneça criptografia de ponta a ponta, isso não significa que seu interlocutor não possa enviar mensagens privadas de seu chat para outra pessoa sem o seu conhecimento e vice-versa".

Depois de pressionar o botão 'reportar', os moderadores do WhatsApp não têm acesso a todos os seus dados, apenas às mensagens que o usuário deu permissão ao reporta-las. Portanto, está incorreto afirmar que a WhatsApp tem acesso a exatamente cinco mensagens recentes, como andam afirmando. Nosso conclusão é com base nos Termos e Condições da empresa e não há evidencias técnicas para suspeitar de algo diferente.

Por falar em preocupações com privacidade, é importante lembrar que nenhum tipo de comunicação online pode ser 100% privada. A presença de criptografia e confiança em um aplicativo são coisas completamente diferentes - e confiar na pessoa com quem você está conversando é uma questão totalmente diferente. Mesmo o bate-papo mais secreto e protegido pode ser fotografado, e da mesma forma, a criptografia E2E não significa que a outra pessoa não enviará sua mensagem para terceiros.