É antiético transformar baratas em ciborgues?

É antiético transformar baratas em ciborgues?

Os neurocientistas têm estado sob fogo da opinião pública e ética após a criação de baratas que podem ser controladas por controle remoto.

Co-fundadores Greg Gage e Tim Marzullo da “Backyard Brains” anunciaram em uma palestra TEDx um novo kit que permite que um operador possa controlar os movimentos de uma barata através de um iPhone.

A demonstração notável vem seguido pelo anúncio de que para transformar baratas ciborgues em breve será disponibilizado para que todos possam comprar por apenas US$ 99.

Cada kit conterá uma barata viva e o hardware necessário e instrumentos cirúrgicos necessários para criar o seu próprio inseto de controle remoto. Sem surpresa, nem todo mundo está muito entusiasmado com a ideia.

“Eu tento não subestimar o fato de que na ciência, usamos modelos animais e muitas vezes eles estão mortos”, disse Gage.
“Como cientistas, nós fazemos isso o tempo todo, mas acontece a portas fechadas.”

Em sua defesa do projeto destacou que a incorporação do mecanismo a barata viva ajudaria a ensinar os alunos a cuidar dos insetos.

Ele também ressaltou que nenhuma das baratas utilizadas nos experimentos de demonstração foram mortas, mas tinham sido enviadas para um tanque de “aposentadoria” para viver o resto de seus dias em paz.